10 livros da Kalandraka para os mais pequenos: Parte 1
Histórias e ilustrações da Kalandraka que vai adorar.

Por Rodrigo Ferrão.

Na hora de escolher um livro infantil falta-lhe criatividade para seleccionar grandes histórias? Escolhemos dez títulos da Kalandraka, para toda a família. Deixe-se conduzir pelas ilustrações e narrativas de cada uma delas, verdadeiras viagens pelo mundo dos sonhos.

O Som das Cores, de Jimmy Liao

O livro começa com uma dedicatória a todos os poetas, logo completada por um pequeno verso de Wisława Szymborska.

«É uma grande fortuna
não sabermos com precisão
em que mundo vivemos.»

Jimmy Liao conta e ilustra uma história sobre uma adolescente praticamente cega, numa longa e muito rica viagem de metro. A personagem vai relatando o que sente, na confusão de uma estação e dentro de uma carruagem. A dada altura, adormece e sonha com animais, a floresta, os peixes do mar, a praia — numa viagem interior carregada de desejos e coisas que gostava de ver ou fazer. 

Nessa ronda pela solidão, a adolescente tem a ajuda preciosa de um Anjo da Guarda, a quem confia os percursos que faz na escuridão. Nem todos os caminhos são positivos; a vida desta adolescente é também feita de pensamentos mais escuros. Mas, superando as dificuldades, a esperança nasce e ninguém se perde.

Um livro encantador, de ilustrações muito ricas, para leitura acompanhada.

A História de Ferdinando, de Munro Leaf, com ilustrações de Robert Lawson

«Era uma vez, em Espanha… um pequeno touro que se chamava Ferdinando. Todos os touros da mesma idade gostavam de correr e saltar e dar marradas uns aos outros. Todos, menos Ferdinando. Do que ele gostava era de estar sossegado, a cheirar as flores…».

Uma história simples, de um touro que cresceu no campo sem particular interesse pelas touradas, mesmo com a promessa de um dia glorioso na arena de Madrid. Ferdinando só queria saber do cheiro das flores, de contemplar a paisagem enquanto descansa, debaixo de uma árvore. 

Um dia foi escolhido e rumou a uma arena na capital, onde sentiu o aroma das flores que as mulheres traziam. Decidiu não se mexer, não reagir, levando todos os participantes e espectadores à loucura. Regressa ao prado e ainda lá se encontra, desfrutando da paisagem e dos cheiros.

Que significado tem tudo isto? A História de Ferdinando, escrito por Munro Leaf e ilustrado por Robert Lawson, para pais e filhos folhearem.

O Peixe que Sorria, de Jimmy Liao

Um homem olha para a montra de uma loja de animais de estimação, onde vários peixes desfilam. Mas há um que lhe sorri e se destaca. Decide, então, levá-lo para casa. O peixe transforma-se na sua maior companhia e ambos combatem a solidão um do outro. Mas o homem percebe, certo dia, que o peixe deve ser libertado no mar.

«Com doçura, beijei o meu peixe», diz a certa altura. E assim se separam, assim o peixe passa a viver a sua solidão no oceano, com o seu antigo dono no pensamento. Uma história simples, aguarelas profundamente marcantes, num azul sem fim. O Peixe que Sorria atesta bem o génio de Liao.

Maria Trigueira, de Ivone Gonçalves

«Maria Trigueira nasceu na serra, cresceu junto às searas de trigo e a cuidar dos animais… Mas, por entre os montes, sempre via ao longe os barcos a navegar. E o desejo de ver o mar crescia nela. Até que um dia decidiu partir e viajar».

Uma menina relata a vida na aldeia: o trabalho, as colheitas, os animais, as tradições. E sonha, com as andorinhas, cruzar os céus e ir ver o mar. Esse sonho torna-se real e a viagem começa. 

Um livro de ilustração das nossas aldeias, das nossas infâncias. De traços muito intimistas, carregados dos hábitos portugueses e da vida no campo.

Ivone Gonçalves, que foi vencedora do Prémio Matilde Rosa Araújo, em 2015, na categoria de Ilustração, conta esta história para os pais lerem aos mais novos, dando a conhecer o mundo das pequenas vilas, verdadeiras memórias da nossa infância. 

Balea, ilustrado por Federico Fernández

Inspirado, talvez, por Moby Dick, este livro é, na verdade, uma enorme ilustração, com dois lados distintos. Um deles, é a parte de fora de uma baleia, perdida no oceano, seguida por vários animais do mar. O outro, visto por dentro, uma alegre e colorida teia de histórias, naquilo que aparenta ser um grande submarino, cheio de compartimentos e divisões.

Criatividade e talento não faltam a Federico Fernández e Germán González, numa edição incrível. Vai valer a pena oferecer este livro e, quem sabe, pendurá-lo em qualquer lugar.

Gostou das nossas recomendações? Deixe-nos a sua opinião nos comentários e veja a Parte 2 deste artigo para mais livros da Kalandraka.

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.