100 melhores livros do século XXI: uma seleção do The Guardian
A seleção do The Guardian dos melhores livros do século XXI.excerto do artigo.

O The Guardian fez uma seleção dos 100 melhores livros do século XXI. O artigo já é de 2019, mas nunca é tarde para relembrar um top desta natureza. Não deixe de ler o artigo completo, mas fazemos aqui um apanhado de alguns dos títulos que nos chamaram mais a atenção e que estão publicados em Portugal.

Para os bibliófilos que viram o filme, mas ainda não leram o livro (e querem ter a oportunidade de dizer, com toda a propriedade, que o filme é bom, mas o livro é melhor), sugerimos que espreitem Brooklyn, de Colm Tóibín (Bertrand). Se é fã de thrillers psicológicos, não deixe de dar uma oportunidade a Em Parte Incerta, de Gillian Flynn (Bertrand). O nosso artigo sobre as melhores sagas de noir nórdico abriu-lhe o apetite? Nada melhor do que começar com Os Homens que Odeiam as Mulheres, de Stieg Larsson (D. Quixote).

Também a literatura infantojuvenil figura nesta lista. Como não podia deixar de ser, encontra, na posição 97, um dos títulos da saga Harry Potter, de J.K. Rowling — neste caso, Harry Potter e o Cálice de Fogo (Presença). Também com adaptação ao cinema, na posição 82, está Coraline e a Porta Secreta, de Neil Gaiman (Presença), para as crianças que gostam de ficar com os cabelos em pé. Contudo, o livro para jovens mais bem cotado nesta lista (posição 6) é O Telescópio de Âmbar, de Philip Pullman (Presença), que encerra a trilogia Mundos Paralelos

Os livros e autores de não-ficção não foram esquecidos. Recomendamos, entre os títulos selecionados, e para quem gostar de ciência, Sete Breves Lições de Física, de Carlo Rovelli (Objectiva). Não deixe de dar uma vista de olhos a A Sexta Extinção, de Elizabeth Kolbert (Vogais), e, se ainda não o fez, não deixe de espreitar o fenómeno Sapiens: História Breve da Humanidade, de Yuval Noah Harari (Elsinore), que vendeu já milhões de exemplares em todo o mundo.

Se é um leitor interessado em conhecer o trabalho de autores vencedores de Prémios Nobel da Literatura, sugerimos que experimente duas autoras galardoadas com esta distinção: Olga Tokarczuk (2018), com Conduz o Teu Arado Sobre os Ossos dos Mortos (Cavalo de Ferro), e Alice Munro (2013), com Ódio, Amizade, Namoro, Amor, Casamento (Relógio d’Água). Para quem ainda não explorou fenómenos recentes, recomendamos A Morte do Pai, de Karl Ove Knausgård (Relógio d’Água), ou A Amiga Genial, de Elena Ferrante (Relógio d’Água). 

Para os leitores que gostam de um bom romance, são muitas as possibilidades que podem encontrar nesta lista. Já leu A Estrada Subterrânea, de Colson Whitehead (Alfaguara)? E A Conspiração Contra a América, de Philip Roth (D. Quixote)? Se preferir, porque não Os Níveis da Vida, de Julian Barnes (Quetzal), Cloud Atlas, de David Mitchell (Presença)? E, porque não só de literatura de língua inglesa se faz o mundo, não podemos deixar de recomendar Os Enamoramentos, de Javier Marías (Alfaguara). 

Finalmente, não queremos deixar de assinalar livros assinados por mulheres que fazem parte desta lista. Para quem gostar mais de não-ficção, chamamos a atenção para Mulheres & Poder, de Mary Beard (Bertrand), e O Ano do Pensamento Mágico, de Joan Didion (Cultura). Se preferir ler ficção, recomendamos O Custo de Vida, de Deborah Levy (Relógio d’Água), Pessoas Normais, de Sally Rooney (Relógio d’Água), A Contraluz, de Rachel Cusk (Quetzal), Meio Sol Amarelo, de Chimamanda Ngozi Adichie (D. Quixote) ou Outono, de Ali Smith (Elsinore). E, para fãs de banda desenhada, o incontornável Persépolis, de Marjane Satrapi (Bertrand).

Consulte a lista completa, veja quantos já leu e (porque não) atualize a sua wishlist.

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.