Descubra o livro Saúde Digital, de José Mendes Ribeiro (FFMS)
Venha descobrir o livro «Saúde Digital», de José Mendes Ribeiro (FFMS).

A obra Saúde Digital: Um sistema de saúde para o século XXI, de José Mendes Ribeiro, foi publicada em setembro de 2019 pela Fundação Francisco Manuel dos Santos na sua coleção «Ensaios». Venha redescobrir este título no Eu Leio em Casa com este «Sabia que?».

Sabia que…

Se morre mais por idade avançada do que por doenças infeciosas? 

Pela primeira vez na História, as doenças infeciosas matam menos pessoas do que a idade avançada, a fome mata menos pessoas do que a obesidade, e a violência mata menos pessoas do que os acidentes… o que faz esperar que em 2030 a esperança média de vida à nascença seja superior a 90 anos, na maioria dos países industrializados.

A pressão sobre os sistemas de saúde não para de aumentar em face das necessidades da população mais idosa?

Os sistemas de saúde em todo o mundo estão a adaptar-se a um novo paradigma centrado na promoção e manutenção da saúde em detrimento do antigo e exclusivo foco no tratamento da doença, onde os resultados alcançados nas últimas décadas são notáveis. A alimentação saudável, a monitorização das doenças crónicas e os comportamentos e os hábitos saudáveis serão as grandes ferramentas dessa transformação, contribuindo para a sustentabilidade futura dos sistemas de saúde.

Mais de 5 mil milhões de pessoas em todo o mundo estão conectadas através de telemóveis?

A mais impactante das reformas estruturais dos sistemas de saúde no século XXI advém dos benefícios das ferramentas da chamada economia digital, designadamente da inteligência na análise de dados e de parâmetros clínicos, das inúmeras capacidades dos equipamentos de monitorização contínua do estado de saúde das pessoas, especialmente na doença crónica (diabetes, hipertensão), e na prestação de cuidados à distância através da telemedicina. 

O que é a saúde digital?

A monitorização do estado de saúde individual, feita pelo próprio ou por forma remota através de um prestador de cuidados, tornou-se possível devido à enorme convergência de tecnologias que conduziram à conectividade, sem fronteiras e sem limitação de tempo (anytime, anyywhere), ligando milhões de pessoas em todo o mundo e ajudando a derrubar muitas das barreiras que dificultam o acesso da população aos cuidados de saúde. A tecnologia digital, colocada ao serviço da saúde, vem permitir informação mais fiável e, paradoxalmente, uma prestação de cuidados de uma forma mais personalizada e humana. Surgirão novas formas de atendimento e de acesso: o hospital virá a casa; a telemedicina chegará onde o doente estiver.

Um sistema digital de saúde?

A pergunta certa deverá ser: «Como podemos mudar o sistema de saúde para tornar os cuidados mais acessíveis ao cidadão?» e não perguntar «como podemos manter o sistema e torná-lo mais acessível ao cidadão?». A consequência da pergunta certa é interrogarmo-nos se bastaria alterar o modelo de financiamento e de gestão para ter resultados muito diferentes dos que temos tido. Não. Isso não seria suficiente.  A economia digital e o poder da conectividade obrigam a uma total refundação dos sistemas de saúde, aproveitando o melhor da tecnologia digital disponível e da atitude de cooperação e envolvimento das novas gerações de utilizadores. No final, serão eles os destinatários de todos os investimentos de inovação que as empresas gigantes do mundo da tecnologia, como Apple, a Google, a Microsoft ou a Amazon estão a promover.

O livro

A manutenção da saúde é a principal preocupação de cada cidadão contemporâneo. Mas como podem hoje os sistemas de saúde assegurar o acesso aos cuidados? Ou, melhor, que papel e recursos novos temos cada um de nós ao dispor para garantir estas aspirações?

A inovação tecnológica aumentou de forma fabulosa a capacidade diagnóstica e cirúrgica. Assim, o foco dos sistemas de saúde na doença pode desviar-se agora para a crescente capacidade de monitorização e incremento do estado de saúde de milhões de pessoas em todo o mundo.

Este livro fala-nos de uma oportunidade de ouro na promoção da saúde: a chamada revolução digital, assente nas potencialidades da conectividade. Portugal pode estar na linha da frente desta marcha para a saúde digital, cuja mudança começa aqui, num melhor conhecimento desta nova era.

Aproveite para espreitar a apresentação deste título.

O autor

José Mendes Ribeiro é economista (ISEG) e tem desempenhado funções de gestão no setor da saúde, público e privado. Responsável pelos Hospitais Empresa (2003) e pela Reforma Hospitalar (2011). Trabalhou na Accenture Portugal, no Hospital da Cruz Vermelha, no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e no Grupo Português Saúde. Foi fundador da CROSS e da Walk in Clinics. Autor do livro Saúde: a liberdade de escolher (2009) e de Saúde Digital: um sistema de saúde para o século XXI (2019).

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.