Então Queres Ser um Agente Literário
Chama-me Jerry Maguire ou 99 razões para (não) entrares tão depressa nessa noite escura.

Por Paulo Ferreira e Tito Couto.

Falar línguas, percorrer o mundo, um amor em cada porto, tomar o pequeno-almoço em Lisboa, almoçar em Paris e pousar a cabeça na almofada em Varsóvia. Ser convidado para as melhores festas da feira, seres considerado importante em pelo menos 4 línguas. Esquece, não é nada disto. Se queres ser agente literário em Portugal, prepara-te.

1. Prepara-te para tatuares no peito: “Show me the money”.

2. Prepara-te para dormires em pensões ou, sorte das sortes, em hotéis com maus colchões, sem mini-bar, com muito ruído lá fora (embora os tampões e comprimidos para adormecer ajudem).

3. Prepara-te para não conheceres a cidade onde passaste 3 dias. Mais, prepara-te para lá ires 6 ou 7 vezes e continuares na mesma.

4. Prepara-te para que toda a gente se ria de ti por calcorreares o mundo e a única coisa que verdadeiramente conheces são quartos de hotel, as cadeiras de espera dos aeroportos, os stands dos editores.

5. Prepara-te para beber muitos cafés por dia e outras bebidas que se dividem em duas categorias: água de lavar os pés e borra-de-café-a-três-euros-o-copo-de-papel.

6. Prepara-te para caminhares 20 quilómetros num só dia, carregado com os catálogos e livros dos teus autores.

7. Prepara-te para só poderes jantar, pernoitar, lanchar, «lavar as mãos» em sítios que tenham wi-fi.

8. Prepara-te para ter voos cancelados (inclusive em companhias de bandeira) ou com uma duração de 30 horas, dormir em aeroportos, comer mal no avião (ou não comer ou às vezes desejar que não tivesses comido).

9. Prepara-te para saberes de cor as queixas, subterfúgios e desculpas esfarrapadas das companhias aéreas quando cancelaram os voos, efetuaram overbooking, não limparam devidamente o avião.

10. Prepara-te para apanhares os piores horários de avião, com escalas impossíveis, em más companhias aéreas, que te servem o que não servirias ao teu animal de estimação.

11. Prepara-te para não dormires ou dormires muito pouco.

12. Prepara-te para viajar em turística, com os joelhos encostados ao queixo.

13. Prepara-te para estares longe dos teus, que não percebem porque passas mais tempo a dormir com os teus colegas do que com a tua mulher (ou marido).

14. Prepara-te para viver de sandes e de sumo durante dias.

15. Prepara-te para não saberes por que razão o teu sistema digestivo não funciona desde que saíste da tua própria retrete.

16. Prepara-te para conheceres editores que não querem saber de ti.

17. Prepara-te para conheceres editores que não querem saber dos teus autores ou dos teus livros.

18. Prepara-te para reunir com editores e ouvir da mesma boca, pela oitava vez, que editar autores portugueses foi o maior erro que cometeram.

19. Prepara-te para reunires com editores que só querem saber quanto é que os escritores vendem, quantas traduções já têm e quantos prémios internacionais ganharam.

20. Prepara-te para que os editores te peçam para ver fotos dos autores a fim de avaliar se ficarão bem na contracapa do livro.

21. Prepara-te para que te digam que um escritor com 50 anos é velho e que não querem.

22. Prepara-te para que te digam que não lhes interessa publicar novos autores.

23. Prepara-te para que te digam que só publicam autores do género feminino.

24. Prepara-te para que te digam que só publicam autores do género masculino.

25. Prepara-te para encontrares editores que te dizem que se conseguires o dinheiro para pagar ao tradutor, o próprio tradutor, que o livro venha revisto e paginado, que lhes faças uma capa (que respeite o conceito gráfico da editora, claro), que penses na forma de financiar a viagem do autor até ao país deles, se a escala de direitos começar nos 2 %, se conseguires um prefácio, um pósfácio, textos de badana, tudo isso enquanto ele te explica que agora faz as capas dos livros com lonas velhas de camiões (true story), talvez, bem, talvez aí ele possa ponderar publicar o livro que lhe apresentaste.

26. Prepara-te para conheceres editores que só estão interessados nos apoios da DGLAB e te publicam nem que seja uma coletânea de composições da quarta classe. Naturalmente nunca te vão pagar royalties porque sabem que não vais viajar até aos montes Urais para te certificares de quantos livros foram vendidos e muito menos para reclamar 200 €.

27. Prepara-te para ter autores que acham que tens de saber russo, sueco, bielorusso e suaíli para avaliares a qualidade da tradução; e que ficam muito chocados quando descobrem que não sabes. Ou que nem te deste ao trabalho de gastar umas centenas de euros num parecer.

28. Prepara-te para teres autores que te dizem que a editora que te ofereceu um contrato para a publicação das suas obras não é suficientemente grande.

29. Prepara-te para reunires com editores em lobbies de hotel, em eventos sociais, no anexo mais pequeno da editora, numa feira barulhenta, no café da feira barulhenta, de pé, sentado no chão.

30. Prepara-te para conhecer todas as aplicações de GPS offline, conversação, chat, câmbios de moedas, transportes públicos, táxis.

31. Prepara-te para a condescendência dos grandes que te acham pequenino e feiinho.

32. Prepara-te para ler e reler os livros, os argumentos, ensaiares o pitch ao espelho para que nada falhe;

33. Prepara-te para não leres os livros que querias porque tens sete novos originais no e-reader.

Diga-nos o que achou nos comentários. Se gostou deste artigo, não perca a Parte 2 e a Parte 3 no Eu Leio em Casa.

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.