Livros para a quarentena #3, por Nélson Nunes
Uma lista de cinco livros sugerida por Nelson Nunes.

Manual de Sobrevivência de um Escritor, João Tordo

Primeiro, uma confissão: ainda não li este novo livro de João Tordo. Comprei-o, tenho passado os olhos por algumas páginas ao acaso, mas ainda não o li de uma ponta a outra. Mas sei, pelo que espreitei, que merece ser sugerido, em particular a todos aqueles que, como eu, escrevem ou querem escrever. Porque há neste trabalho regras de ouro que continuam a merecer ser seguidas, mas também há ideias-feitas que o autor destrói, e bem. Tem estado nos tops de vendas, e é sinal de que há muita gente com a ânsia de escrever mais e publicar – que não são a mesma coisa, na verdade.

Perante esta vontade de uma multidão silenciosa, pareceu-me pertinente fazer acompanhar esta edição da Companhia das Letras por outras sugestões com o mesmo âmbito.

Inadvertent, Karl Ove Knausgard

Neste opúsculo, o autor norueguês mais celebrado da última década responde, apenas e só, a uma pergunta: por que motivo escreve? A resposta, como descobrimos ao longo das noventa e poucas páginas, não é linear. O próprio autor debate-se com as possibilidades de explicação para o seu acto de escrita, encontrando com frequência becos sem saída. É um texto muito curioso para quem lê e pretende escrever, porque sentimos a observar-nos, em direto, a construção criativa sem destino pré-definido.

Inadvertent ainda não tem tradução portuguesa.

The Sense of Style, Steven Pinker

Preocupado com a cognição e a psique humanas, e com diversos (e longos) ensaios dedicados à maldade, à razão e à linguagem, Steven Pinker partilha connosco a sua grande preocupação no que concerne à divulgação científica: quem não escreve bem, não transmite conveniente e apelativamente a sua mensagem. E, para o autor, esse é um dos motivos pelos quais o conhecimento científico não é popular. Posto isto, Pinker propôs-se a coligir um guia com técnicas claras sobre como escrever de forma clara e aliciante, baseando-se em descobertas científicas recentes sobre a perceção e o conhecimento humanos.

The Sense of Style ainda não está traduzido para português.

Os Escritores (Também) Têm Coisas a Dizer, Carlos Vaz Marques

Numa colecção de entrevistas douradas com alguns dos melhores escritores portugueses do século XX e XXI, Carlos Vaz Marques ajuda-nos a mergulhar nas profundezas de algumas das mentes mais brilhantes da literatura nacional. Nomes como José Saramago, Agustina Bessa-Luís e António Lobo Antunes, entre tantos outros, fazem parte deste livro da Tinta-da-China.

O Que Se Vê Da Última Fila, Neil Gaiman

É assaz comum perguntar aos escritores de onde lhes vêm as ideias – arrisco dizer que essa pergunta já virou piada privada entre quem tem nas letras o seu ganha-pão. Porque, em boa verdade, as ideias não vêm de lugar algum, mas também vêm de todo o lado. Quem poderá afirmar que uma determinada coisa é ou não é inspiração para um texto? Sê-lo-á sempre, por mais que o seja indirectamente. Este livro de Neil Gaiman permite-nos perceber que é a curiosidade que move este escritor, e que tudo aquilo que o faz erguer o sobrolho é passível de servir de força motriz à escrita.

Esta colecção de ensaios de Gaiman é uma edição da Elsinore.

O autor

Nelson Nunes é escritor. Autor de livros como Preciosa (Planeta, 2019), Quem Vamos Queimar Hoje? (Vogais e Companhia, 2018), Isto Não é Um Livro de Receitas (Vogais e Companhia, 2017), Com o Humor Não se Brinca (Vogais e Companhia, 2016) e Quando a Bola Não Entra (Ideia-Fixa, 2015), começou pelo jornalismo na revista Focus, tendo passado pela investigação académica na Universidade Católica Portuguesa e pela assessoria de imprensa no Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol. Hoje é criativo na agência de storytelling True Stories.

***

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.