Livros para a quarentena #3, por Nélson Nunes
Uma lista de cinco livros sugerida por Nelson Nunes.

O Abismo de Fogo, Mark Molesky

Dentro de alguns dias, cumpre-se a efeméride do evento mais aterrador por que passou Lisboa, e esta é uma descrição vívida e detalhada do terramoto, incêndio e tsunami que matou milhares de pessoas e devastou uma cidade inteira, com marcas que duram até aos dias de hoje. O Abismo de Fogo é uma edição extraordinária da Relógio d’Água.

Something to Food About, Questlove

É certo que Questlove é o reconhecido baterista dos The Roots, banda de hip-hop/soul/jazz que também é residente do programa de Jimmy Fallon, mas há uma faceta sua não tão reconhecida, embora de não menor importância. Questlove é também um foodie bem relacionado e bastante entendido no tema do fine dining. Vai daí, agarrou num gravador e num bloco de notas e passeou pelos Estados Unidos, visitando alguns dos chefs mais brilhantes da nossa era, para depois compilar essas conversas neste trabalho delicioso, que combina histórias e fotografias com uma mestria invejável. Something to Food About ainda não tem tradução portuguesa.

Auschwitz e Depois, Charlotte Delbo

De toda a enxurrada de livros com a palavra Auschwitz, uns mais tontos, outros menos, eis o melhor de todos: Auschwitz e Depois é uma trilogia escrita pela autora Charlotte Delbo, ela própria sobrevivente de um dos campos de concentração mais mortíferos da tirania nazi, compilando um vasto conjunto de memórias literárias da autora, com uma crueza, uma violência e, por vezes, uma beleza arrebatadoras. Esta é uma edição BCF.

O Fim da Fé, Sam Harris

Um ensaio poderosíssimo sobre a sordidez da fé e os seus efeitos, tanto ao longo da História como nos tempos que correm. Sam Harris é um dos intelectuais mais relevantes do nosso tempo, e este O Fim da Fé é uma boa porta de entrada para o pensamento do autor. É uma edição da Tinta-da-china e um óptimo complemento ao podcast Making Sense With Sam Harris.

Como Fernando Pessoa Pode Mudar a Sua Vida, Carlos Pittella e Jerónimo Pizarro

Não estaremos longe da verdade quando imaginamos que Fernando Pessoa é o autor mais rico do século XX, e potencialmente até da História da Literatura portuguesa. Não é, portanto, de espantar que, para além das dezenas de heterónimos e da carrada de textos do ortónimo, haja muito ensinamento a tirar das ideias pessoanas. Se precisar de um livro de auto-ajuda, atire-se a um texto cheio de pinta, em vez de optar por um daqueles canhenhos carregados de lugares comuns. Esta é uma edição da Tinta-da-china.

O autor

Nelson Nunes é escritor. Autor de livros como Preciosa (Planeta, 2019), Quem Vamos Queimar Hoje? (Vogais e Companhia, 2018), Isto Não é Um Livro de Receitas (Vogais e Companhia, 2017), Com o Humor Não se Brinca (Vogais e Companhia, 2016) e Quando a Bola Não Entra (Ideia-Fixa, 2015), começou pelo jornalismo na revista Focus, tendo passado pela investigação académica na Universidade Católica Portuguesa e pela assessoria de imprensa no Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol. Hoje é criativo na agência de storytelling True Stories.

***

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.