Missão cumprida

Quando menos esperávamos o mundo parou. Parece que foi há uma eternidade mas foi há apenas nove meses que nos vimos a contas com uma pandemia global que nos obrigou a repensar a forma como vivemos.

De repente fomos levados a trabalhar em casa, a evitar contacto com amigos e familiares e a ver fechar todo o comércio, nomeadamente as livrarias.

A nossa reação imediata foi a de criar um espaço onde se mantivesse vivo o contacto com os livros e os autores, foi assim que nasceu o Eu Leio em Casa.

Este foi o nosso primeiro projeto para os tempos de confinamento, logo depois vieram os festivais online e o Eu Aprendo em Casa. Durante estes meses divulgámos livros, escritores, ideias e formas de mantermos vivo o interesse pela leitura. Um processo que nunca teria sido possível sem o apoio de muitas editoras e autores que contribuíram com textos e entrevistas, como Afonso Cruz, Frederico Lourenço, Filipa Melo, Nelson Nunes, entre muitos outros. 

Hoje, que as livrarias já estão de portas abertas e lentamente tentamos retomar uma vida mais próxima da normalidade, sentimos que o papel do Eu Leio em Casa se cumpriu. Desde o primeiro dia que sabíamos que este era um projecto com princípio, meio e fim, sendo que esse fim seria o início de um mundo substancialmente diferente.

É por isso que não escondemos que este dia se reveste de sentimentos ambivalentes, por um lado é sempre triste colocar um ponto final num projecto, mas por outro a felicidade de ver que aos poucos estamos a retomar as visitas às livrarias e o contacto com os livros.

Não se pense que se trata de um adeus, até porque manteremos vivo e animado o espaço dedicado ao debate em torno do livro, da escrita e de muitas outras áreas no Eu Aprendo em Casa, onde dezenas de especialistas contam as suas experiências e passam ensinamentos sobre escrita, cinema, música, entre muitas outras coisas.

Por agora é tempo de dizer que desejamos que continuem a ler em casa e, tão rápido quanto possível, na rua, na praia, nos jardins, enfim, onde vos der mais prazer. Nós continuaremos a contar os dias para vos ver, de carne e osso, num festival literário, numa biblioteca ou numa livraria. 

Um abraço da equipa do Eu Leio em Casa e os votos de que 2021 nos traga a possibilidade de voltar a ler onde quisermos.

PS: Continue a acompanhar os workshops do Eu Aprendo em Casa na área da ciência, com a colaboração do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço; de escrita com Mia Couto e José Eduardo Agualusa, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, João Tordo, Afonso Cruz, Ricardo Dias Felner ou Gonçalo Cadilhe; de edição teremos Maria do Rosário Pedreira, ou de cinema com Pedro Mexia.