Sete coleções de banda desenhada da revista Tintin
Vasco Granja foi o responsável pela revista.

Por João Valente.

As coleções de banda desenhada da revista Tintin marcaram uma geração. Publicada em Portugal entre 1968 e 1982, deu a conhecer títulos da banda desenhada clássica europeia sob o mote «A revista dos jovens dos 7 aos 77 anos». A mesma revista continha quatro ou cinco histórias de heróis diferentes. No entanto, cada número da Tintin trazia apenas algumas páginas dessas histórias. Assim, por um lado, a mesma revista permitia conhecer vários autores, traços e heróis. Por outro, só colecionando vários números é que se conseguiria completar essas histórias. 
Na equipa editorial da revista estava o saudoso Vasco Granja, responsável pela introdução de tantas gerações de portugueses ao universo dos desenhos animados.

Alix

O Império Romano acolheu muitos heróis, mas poucos como Alix. Nascido na Gália, foi vendido como escravo a um nobre romano que acabou por adotá-lo como filho. O seu caráter e destreza fizeram com que partisse a palmilhar o Império e corresse atrás de muitas aventuras, quase sempre acompanhado pelo fiel amigo Enak, um jovem egípcio. As Aventuras de Alix foram criadas por Jacques Martin.

Blake & Mortimer

Uma dupla improvável de espiões britânicos um cientista civil e um militar do MI5 depara-se com ameaças contra a Humanidade de forma quase constante. Por detrás delas está o Coronel Olrik, o eterno inimigo da liberdade e da concórdia. Da pena de Edgar P. Jacobs saíram as histórias que usavam o imaginário da Segunda Guerra Mundial e da Guerra Fria como base. No entanto, os argumentos iam mais além: eram capazes de colocar os nossos heróis na Atlântida (passando primeiro pelos Açores) ou a fazer viagens no tempo.

Corto Maltese

Corto Maltese, desenhado por Hugo Pratt, é um misterioso capitão da Marinha que correu o mundo nas primeiras décadas do século XX. Nascido em Malta (daí o seu apelido), as suas histórias misturam elementos e personagens reais com a ficção. Maltese é um cínico por natureza, conseguindo ganhar o respeito de quase toda a gente com quem se vai cruzando. Através do olhar deste marinheiro solitário, Pratt faz um retrato do mundo nas primeiras décadas do século passado.

Cubitus

A imaginação do belga Dupa criou um cão politicamente incorreto, com peso a mais e muito preguiçoso chamado Cubitus. Ele odeia gatos, especialmente o seu vizinho Séneca, e o sidecar do seu dono Semáforo. Cada história tem apenas uma página. Duas no máximo. Mas basta isso para que o leitor entre numa espiral de gargalhadas imparáveis.

Michel Vaillant

Jean Graton inventou a onomatopeia «Vroaaaar» para simbolizar o troar de um motor a 300 quilómetros por hora. E Michel Vaillant, piloto extraordinário, nunca conduz a menos do que isso. Conhecedor dos bastidores do desporto automóvel, as aventuras de Michel Vaillant mergulham-nos no Mundial de Fórmula 1, no Paris-Dakar ou numa prova de Rally. Michel Vaillant passou por Portugal em duas ocasiões: no álbum Rally de Portugal e em O Homem de Lisboa, que estão repletos de desenhos minuciosos do nosso país.

Ric Hochet

Ric Hochet é jornalista. Devia limitar-se a fazer reportagens e notícias. No entanto, quase sem saber como, vê-se com frequência no meio de tramas e mistérios de cortar a respiração. As suas habituais colaborações com o Comissário Bourdon fazem com que os culpados sejam revelados e todas as situações de grande perigo sejam resolvidas. Ric Hochet foi desenhado por Tibet e escrito por Duchateau.

Valérian

Consideradas por muitos como um dos mais felizes momentos da banda desenhada europeia, as aventuras de Valérian e da sua companheira Laureline inspiraram muita da ficção científica que consumimos. A saga Star Wars e o filme O Quinto Elemento são os exemplos mais óbvios. Pierre Christin e Jean-Claude Mézières criaram histórias de grande densidade e mundos oníricos para albergar estes agentes espaciais que viajam no espaço e no tempo. 

Quer conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt? Então subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.

Se quiser conhecer outros artigos do euleioemcasa.pt, subscreva a nossa newsletter. Não se preocupe. Não o vamos maçar todos os dias.